Spiga

Alamar - "Condenando a coisa pelo excesso da coisa"

 


Resumo: Comer demais, de forma exagerada, é algo que faz mal, pode provocar doenças e até enfarto, não é verdade?
Por causa disto, você CONDENARIA o ato da gente almoçar e se alimentar todos os dias?
Esta é a idéia deste artigo.


Condenando a coisa pelo excesso da coisa

Um dos grandes problemas do homem é o entendimento errado das coisas.
Quando existe entendimento errado, ocorre aquilo que comumente chamamos de “mal entendido” e daí tudo pode acontecer, inclusive as coisas ruins e até trágicas que promovem mortes e até guerras.
Por que os chamados evangélicos têm tanta raiva e até ódio do Espiritismo?

Porque eles entendem errado o que verdadeiramente é o Espiritismo e, por isto, tiram conclusões erradas formando conceitos equivocados. Não se dão ao trabalho de estudar direito o que seja, prestando melhor atenção na sua obra básica, preferindo ficar com o conhecimento superficial ou por aquele formado à base do ouvi dizer.

As pessoas são sempre assim, elas não procuram se aprofundar e muito menos se aperfeiçoar em nada, daí formando as suas culturas apenas superficialmente.
Vivemos numa sociedade do resumismo, exigimos sempre que as pessoas escrevam pouco, sob a argumentação de que não temos tempo para ler, quando na verdade muitas vezes temos é preguiça de ler.

Claro que ninguém tem condições de estar disponível para ler textos grandes de todas as coisas que aparecem. Em um jornal e uma revista semanal, por exemplo, nem sempre disponibilizamo-nos a ler tudo o que é publicado, selecionamos os assuntos que mais nos interessam e esses, sim, lemos integralmente e muitas vezes até relemos para o melhor entendimento.
Assuntos que fazem parte do nosso dia-a-dia, da nossa profissão, da nossa atividade fim jamais devem ser lidos superficialmente.

A cultura superficial existe em todas as vertentes da sociedade e do conhecimento humano. Há países em que a pessoa precisa ter um bom conhecimento de Física e Matemática para poder tirar uma carteira de motorista, o que é absolutamente óbvio, porque para guiar um veículo implicitamente o condutor está lidando com Cinemática, Estática, Dinâmica, Acústica, Eletricidade, Atrito, Força Centrífuga, aerodinâmica e uma série de detalhes do campo da Física. No Brasil qualquer analfabeto pode tirar uma carteira de motorista e, exatamente, por este motivo, somos o país que tem o maior número de mortes no trânsito por ano, mais de 50.000 pessoas. Nenhum outro país do mundo mata mais gente que o Brasil.

E as imbecis autoridades querem mascarar essas mortes alegando que é por conta do “excesso” de velocidade. Mentira, um analfabeto mata no trânsito até dirigindo a 40 por hora.

E no meio espírita, o que isto tem a ver?

Tem muito a ver, tem tudo a ver. Por conta da cultura superficial muita gente forma conceitos sobre o Espiritismo também superficial, achando que entende, quando na verdade tem apenas uma vaga idéia. O mais lamentável é que esta realidade se verifica também em pessoas que estão à frente de instituições espíritas. Daí conclui-se sobre o nível da qualidade dos espíritas que são formados naquela instituição.

Qualquer espírita que se oferece para participar da direção de uma casa espírita, principalmente da direção de uma federação, tem OBRIGAÇÃO de conhecer muito bem as obras básicas do Espiritismo. Estou falando em CONHECER e não apenas de ter dado uma lidazinha superficialmente.
Ser dirigente de casa espírita não é cargo para ser ocupado por “quem tem tempo”  não, é para quem tem competência. Por mais que um estatuto de um centro preveja 8 membros, por exemplo, em uma diretoria, se não tiver os oito qualificados dentro do indispensável, é preferível que a diretoria tenha somente dois e deixe os outros cargos vagos do que preenchidos por desqualificados. 

Um dos grandes problemas do nosso meio, em decorrência disto, é isto que chamo de “condenando a coisa pelo excesso da coisa”, que ocorre demais no meio espírita e que quero levar a apreciação daqueles amigos que têm um nível de QI diferenciado, que certamente não vão qualificar determinadas abordagens apenas como “polêmicas”, como muitos fazem.
Inclusive tem coisas aqui que eu já abordei em outros artigos, mas é sempre bom relembrar.

Você acredita que Deus iria condenar o homem pelos prazeres que a vida tem a nos oferecer?
Por que motivo ele teria criado os prazeres, então?
Onde estaria a inteligência, a bondade e a coerência dele, se condicionasse a conduta do homem apenas às carências, a tristeza, a cara sisuda e a vida sem prazer nenhum?

Vamos lá, então.

Vaidade

Você já deve ter ouvido, ou melhor, ouve todos os dias, os espíritas condenarem a vaidade, como se ela fosse um mal. Até mesmo espíritos desencarnados escrevem mensagens e livros condenado a vaidade, porque, quando encarnados, passaram a vida inteira escutando isto, ouvindo dizer que a vaidade é ruim.

É um absurdo! Ninguém comete qualquer erro, sobretudo de ordem moral, por gostar de se vestir bem, cuidar do seu corpo e da sua aparência, do falar bem, do gostar de cantar, de representar e até de ser reconhecido pelo seu trabalho. Só mesmo uma alienação mental para ser contra isto.

Muitas pessoas, principalmente mulheres, ficam até com receio de colocar uma maquiagenzinha, um batom ou se ajeitarem melhor para ir ao centro, com medo das línguas de algumas pessoas que tem lá.
O grande problema, que realmente prejudica a pessoa, é o excesso de vaidade, porque esse de fato faz a pessoa ficar antipática, chata, nojenta, metida, arrogante, intragável e insuportável. Confundir vaidade com excesso de vaidade é uma estupidez.

Bens materiais

Você já deve ter ouvido, também, muitos espíritas dizerem que não devemos nos preocupar com os bens materiais. Isto também é uma alienação.

Vivemos no mundo material e temos que nos preocupar, sim, com os bens materiais, com o nosso corpo e com tudo aquilo que necessitamos para a sobrevivência neste mundo que é material. Só mesmo um retardado mental, que precisa de comer, de se vestir, se deslocar em transporte, ter uma casa morar, uma cama para dormir, etc... para achar que não se deve importar com coisas materiais.

O que está errado é se preocupar APENAS com as coisas materiais, que é outra coisa totalmente diferente.
Se preocupar APENAS com as coisas materiais é tão perturbador como se preocupar APENAS com as coisas espirituais.

Identificação dos espíritos

Não devemos nos preocupar em identificar os espíritos nas mediúnicas, não devemos perguntar o nome de um espírito que se comunica.
Conversa fiada.
Por acaso, você consegue se relacionar muito tempo com amigos, vizinhos e colegas de trabalho sem procurar saber os seus nomes? Por que com os desencarnados tem que ser diferente?

Não existe problema nenhum em perguntar o nome de um espírito e procurar saber mais sobre ele.
O que não devemos é colocar a identificação do nome do Espírito como prioridade, posto que o mais relevante é o conteúdo da sua mensagem. Tem gente que exige a identificação do espírito, só faltando pedir identidade, CPF e comprovante de residência. Isto sim, é maluquice.

Coisas do mundo

É muito comum algumas pessoas dizerem que não se interessam pelo que chamam de “coisas do mundo”; ou seja, se recusam a sair para uma festa, porque vêem pecado ou ato reprovável em tudo: dançar, pular, brincar, sair para se divertir, etc...
É coisa de masoquista, gente que não se ama.
O que está errado é se preocupar APENAS com as coisas do mundo e não dar importância às coisas espirituais.

Sexo

A disposição da sociedade e da religião condenarem o sexo, como sendo coisa imoral, indecente, pornográfica, proibitiva, não recomendável, pecaminosa, obsessiva, comprometedora, etc. é uma das maiores estupidez da criatura humana.

Claro que é uma conversa fiada. Se sexo não fosse para ser praticado, por que então o orgasmo é daquele jeito? Não seria mais coerente, então, se fosse amargo, azedo ou com sintoma de dor dente, suportável apenas para a criação?

Pelo contrário: O sexo faz bem para a saúde, para o psiquismo e para uma série de coisas, relaxa a pessoa, faz feliz e muito mais tranqüila, emagrece, rejuvenesce... Deve ser praticado, sim, sem qualquer restrição.

O problema está no sexo descontrolado, exagerado, forçado, inconseqüente, irresponsável, usado como imoralidade, com chantagem, por pressão, movido por interesses mesquinhos, etc... É outra coisa totalmente diferente.
Confundir erotismo com pornografia é outra burrice social. Pode reparar, toda obra erótica é vista pela maioria das pessoas como obra pornô.

Silêncio

Chega a ser chata a apologia ao silêncio na casa espírita. Chegam até a dizer que silêncio é prece, o que nada tem a ver. Todo mundo tem que ficar em silêncio ou falar baixo, como se esse tipo de comportamento, por si só, fosse traduzido em algum critério virtuoso. É um exagero.
O que não é recomendável na casa espírita é a pessoa ficar gritando, falando em voz alta, além do normal, porque incomoda e se constitui em falta de educação. Mas isto é falta de educação em qualquer meio, não apenas na casa espírita.

Mas daí a achar que todos têm que necessariamente ficar em silêncio o tempo todo é um absurdo. Há momentos, sim, em que o silêncio se faz necessário, como por exemplo, no momento em que alguém esteja fazendo uma exposição, só que isto deve ser uma questão de educação e não de ritual religioso.

Fechar os olhos

Mandam que as pessoas fechem os olhos na hora da prece e do passe. Há centros que obrigam isto, como uma necessidade.
Conversa fiada, ninguém tem necessariamente que fechar os olhos para a prece e para o passe. A concentração de cada um deve ocorrer da forma como a pessoa achar melhor e muita gente se concentra até melhor com os olhos abertos.

Flores e músicas no centro

Há quem proíba flores e música nos centros espíritas. Alguns chegam ao absurdo de determinarem que não pode ter flores, para não ficar parecendo igreja católica.
Isto é um absurdo. As flores são bem vidas e a música também.
O que não é recomendável é que o uso das flores e da música virem RITUAL na casa: tem que ter flores, tem que ter música”, aí é um absurdo e é reprovável. Não tem que ter nada disto.

Há centros espíritas que só fazem a prece se tiver a música de fundo. Outro dia eu vi um dirigente de um centro deixar de fazer a prece de encerramento de uma atividade na casa, porque simplesmente perdeu a fita cassete onde estavam gravadas as músicas que eram utilizadas para as preces. É um absurdo.

Dinheiro

Não se deve envolver o espiritismo com dinheiro.
Este é um dos mais absurdos conceitos implantados em nosso movimento espírita. O dinheiro passou a ser visto como coisa demoníaca, por muitas pessoas. Parece que há um verdadeiro trauma, em relação a dinheiro. Por conta disto, muitas casas espíritas enfrentam dificuldades terríveis, posto que qualquer iniciativa envolvendo dinheiro é altamente criticada por muita gente.
Mentira, é um absurdo e é conversa fiada.

O dinheiro é sempre bem vindo na casa espírita, quanto mais tiver, é melhor, eventos para angariar recursos devem ser feitos, sempre, sem problema nenhum de ordem moral ou doutrinária.
O problema não está no uso e sim no MAU USO, o que é totalmente diferente. 

O que deve ser repudiado é o excesso de apego ao dinheiro, é a apropriação pessoal de um dinheiro que pertence à instituição e todo exagero envolvendo dinheiro, ainda mais quando uma meia dúzia se locupleta de bens valiosos doados para uma instituição de Caridade, assunto este que eu prefiro não entrar em detalhes.

Eventos pagos

Há muitas condenações aos eventos pagos, eventos esses que tem DESPESAS para serem realizados e não tem os seus componentes fundamentais recebidos de graça.
Entenderam errado o ensinamento do “Dai de graça”, que é referenciado àquilo que de graça a gente recebe e não a tudo.
Entender que o espírita tem que dar TUDO de graça, é também um atrofiamento mental de muitos espíritas.

Livros baratos

Querem que os livros espíritas sejam vendidos a preços bem irrisórios, muito aquém da realidade do mercado de livros.
Conversa fiada, também. Além de estarem frontalmente contrariando a Allan Kardec, que sempre foi contra isto, estão sempre achando que alguém está querendo ficar rico à custa da venda de livro espírita.
Bobagem, os livros espíritas devem ser vendidos a preço de mercado, já recomendou Allan Kardec.

Postura enérgica

Criticam sempre o espírita que utiliza de postura enérgica, achando sempre que ele é agressivo, é violento e desequilibrado, num entendimento que todo mundo tem que fingir que é bonzinho, calminho, caridoso e bem “amoroso” para com todas as pessoas, por mais abusadas e desequilibradas que elas sejam.

Não prestaram atenção que Jesus foi um dos maiores exemplos de postura enérgica em relação aos hipócritas, provocadores, insinuadores e desequilibrados, e que Allan Kardec, também, adotava a mesma postura, já que ambos sempre deixaram claro que moralidade deve ser autêntica e não teatralizada.

Quer conhecer o comportamento de Allan Kardec, em relação a gente abusada, presunçosa, hipócrita e metida a besta? Estude a Revista Espírita, são só 12 volumes.

Preservar a doutrina

Em nome do “preservar a doutrina”, também muito conhecido como “em nome da pureza doutrinária”, cometem-se as coisas mais absurdas que se pode imaginar, inclusive atitudes de elevado nível de imoralidade, reeditando os velhos modelos da inquisição.

Usam bala de canhão para matar mosca, ou seja, as SUPER DOSAGENS, que terminam matando não apenas a mosca que está incomodando, mas tudo o que esteja perto da mosca, inclusive seres úteis.
Imagine um lar onde alguém tenha percebido que apareceu uma barata, na cozinha. Aí, para evitar que essa faça ninho e que possa aparecer mais baratas em casa, o dono da casa resolve comprar e aplicar um veneno fortíssimo em toda a casa, que termina matando o cachorro, o gato, o papagaio e ainda causando graves infecções nas crianças e nos idosos da casa.
É exatamente isto que o movimento espírita faz.

Comunicações do Chico Xavier

Já era sabido que após a desencarnação do Chico iriam aparecer mensagens a torto e a direito como sendo de autoria dele, inclusive as coisas mais absurdas, tudo em nome dele. Claro, isto era previsto.
Todavia, só que, por causa disto, resolveram de novo dar o tiro de canhão: Generalizaram e determinaram que NINGUÉM pode receber mensagem do Chico Xavier. Inventaram até a tal senha, coisa que não existe nem registro nas obras básicas.

Já se passaram 12 anos da desencarnação dele, que agora não pode fazer aquilo que ele sempre gostou que é a comunicação de encarnados com desencarnados, porque a intolerância do nosso movimento determinou que não pode. 

Quem achar que o Alamar está apenas sendo polêmico nisto, me responda as perguntas abaixo:
Quem é que você conhece que hoje está autorizado a receber mensagens do Chico?
Você conhece alguém que tenha anunciado que recebeu alguma e que não tenha recebido pesadas críticas? 

Por que Divaldo não recebe? É porque não tem qualidade mediúnica para isto?
Não, é porque ele sabe a confusão que vai dar, mesmo sendo ele, e o que vão dizer dele.
Sei de casa onde ele está se comunicando, tenho certeza que é ele, mas o espírito teve que recomendar ao médium para que não divulgue que é ele, para evitar problemas.
Vejam a que ponto chegou, amigos! Os espíritos não podem se identificar, com receio da fofoca no meio espírita.

Ficando Rico à custa do Espiritismo

Você já deve ter escutado várias vezes esse tipo de acusação, em nosso meio espírita, de que alguém está “querendo ficar rico à custa do Espiritismo”.

É uma das expressões mais estúpidas e ridículas pronunciadas no meio espírita.
Usemos a inteligência e perguntemos: É possível alguém ficar rico no meio espírita, vendendo produtos espíritas, ainda mais sendo um espírita oferecendo alguma coisa para outro espírita?
Você conhece alguém que de fato tenha ficado rico à custa dos espíritas? Aponte, vá. Anote aí quantos nomes você tem em nível de Brasil ou internacional.

Eu faço o desafio e fico aqui aguardando a relação, citando os nomes das pessoas, e vamos fazer um levantamento na vida do acusado para ver se procede mesmo a informação. Duvido que alguém se habilitará a apontar nomes.

Preferível recusar 9 verdades e aceitar uma mentira.

É outra situação onde se aplica muito o tiro de canhão, que eu falei, ou seja, aquele veneno para matar barata e que termina desgraçando com a vida de outros animais e até das pessoas.

Uma interessante observação feita por Kardec, porém muito mal entendida pelo meio espírita.
Nesta brincadeira muitas obras maravilhosas são CONDENADAS sem serem examinadas, pessoas condenam trabalhos cujo conteúdo esteja acima do seu nível cultural, de conhecimento e de inteligência, só porque é preferível recusar nove verdades.

Semi analfabetos no aspecto científico do Espiritismo condenaram as obras do Dr. Hernani Guimarães Andrade, do Henrique Rodrigues e de outros, só por causa desta passagem.

E por conta disto você deixou de ter conhecimento de coisas fantásticas e muitas vezes continua tendo, por causa de achar que tem que ter obediência total à direção da casa espírita onde freqüenta, casa onde cegos pretendem guiar cegos.  

Cuidado para não incentivar a vaidade dos outros

É outra citação maluca, impensada, irracional que terminou por instalar a frieza, a indiferença, a insensibilidade, a descortesia, indiferença, descaso, desdém e falta de educação em nosso meio espírita, em relação a qualquer espírita que venha a desenvolver um grande trabalho.

Não se pode aplaudir, reconhecer e elogiar, para “não estimular a vaidade”.

É um absurdo essa generalização inconseqüente que faz da prática “espírita” uma prática chata, nojenta, indiferente, fria, insensível e desumana em relação ao seu próprio semelhante, numa verdadeira contradição aos princípios morais ensinados pelo próprio Espiritismo.

Pretos velhos e caboclos

Não é permitida a comunicação de caboclos e pretos velhos em nossa casa espírita.
Basta aparecer um espírito que traga essa identificação, muitos dirigentes de trabalhos mediúnicos, imediatamente, precipitadamente, arrogantemente chamam atenção e bloqueiam logo, não permitindo de forma alguma que o médium dê passagem.
Não querem nem saber do conteúdo e não dão a menor atenção ao espírito porque a falta de educação e desrespeito humano é o que prevalece.

Agora veja só que contradição desgraçada: Quando aparece um espírito que de fato é ruim, maldoso, perverso, desonesto, perturbado e que até diz claramente que está ali para destruir tudo, a “bondade” espírita aparece com “muita paz, meu irmão”, para lhe dedicar atenção especial.

Você já percebeu isto?
Na generalização absurda acham que, talvez, todo espírito que se identifica com o nome de “preto velho”, necessariamente vai aparecer ali pedindo cachaça ou pedindo cachimbo para fumar.

Não se pode falar em política na casa espírita

Irresponsabilidade cívica, descompromisso com a cidadania, omissão, descaso e co responsabilidade em relação aos desmandos políticos praticados.

O espírita é um cidadão e tem dever cívico, sim. A casa espírita é uma ESCOLA e não uma igreja, e como escola tem o direito e o dever de educar, sim, de esclarecer, de prevenir, de alertar e instruir os seus participantes quanto a responsabilidade do votar bem.

O que não pode é promover política partidária, o que é totalmente diferente, porque aí está se submetendo a interesses de partidos, está sendo parcial e tendenciosa.

Não devemos rebater as críticas

Ainda dentro da bondade de fachada, muitos espíritas dizem isto.

“É preferível a gente se calar, meu irmão. A doutrina fala por si só”.

Será que devemos ser omissos? 

Allan Kardec nunca foi omisso em relação aos críticos do Espiritismo e, pelo contrário, não apenas os enfrentava, mas usava de energia em relação a eles.

Inclusive escreveu na Revista Espírita: “Toda crítica ao espiritismo deve ser respondida à altura”.


Ficam aí, então, essas observações para a apreciação de todos.
Bom, teria muito mais coisas a falar, mas fico por aqui.

Alamar Régis Carvalho
Analista de Sistemas
 
 
 
 
Os meus Facebooks

Prezados amigos que estão entrando em contato com os meus textos agora: É natural a onda do Facebook e ninguém pode negar. Está na casa dos bilhões o número de pessoas que utiliza esta rede social no mundo.
Há dois anos eu criei o meu primeiro facebook, o "alamarregis", mas lotou rapidamente porque ele só admite 5.000 amigos. Me aconselharam a mudá-lo para página, que poderia receber mais gente, sem limites. Assim eu fiz, ultrapassou de fato as 5.000 pessoas, mas me arrependi, porque a coisa ficou fria e eu não pude mais interagir com os amigos, como fazemos no Face normal.
Aí criei um novo, que é o "alamarregis2". Esta semana encheu de novo, tendo chegado também a mais 5.000 amigos e não pode mais entrar ninguém.
Aí eu criei o "alamarregis3", para poder receber mais amigos. Portanto, se você quer entrar no meu facebook, faça agora por este; www.facebook.com/alamarregis3.
Peço aos amigos que já estão nos outros que não se inscrevam no novo, porque tudo o que eu postar em um será postado também nos outros. Agradeço pela atenção de todos.


Grupo Espírita Virtual

Nem sempre você pode ir a um centro espírita, porque fica longe de casa, só funciona a noite, o transporte é difícil, tem medo da violência das ruas, não tem com quem deixar as crianças... ou mesmo porque não tem lhe agradado o mesmismo da casa que se comporta mais como igreja do que dentro do papel que deve ser mesmo ser um centro, conforme ensinado e praticado por Allan Kardec.
Agora existe o Grupo Espírita Virtual, GEV, que é um centro espírita, ao vivo, pela INTERNET.
É uma sala de conferências normal, daquelas que são utilizadas pelas grandes empresas do mundo para reunir pessoas e até ministrarem cursos, onde os participantes podem falar pelos microfones dos seus computadores e até usarem as suas WebCam.
O diferencial do GEV é que é um centro espírita sem censuras, onde os palestrantes não ficam limitados aos "index" dos dirigentes, não existe igrejismo, estudamos Kardec como prioridade, já que ele é a base e não temos hora para terminar, principalmente quando as pessoas estão gostando dos assuntos abordados, onde elas, inclusive, podem perguntar a vontade. Tem dia que a gente passa das duas horas da manhã, com todo mundo lá, firme e forte, tamanho o interesse das pessoas.
Funciona todos os dias, por enquanto só de segunda a sexta-feira, começando as 21:00 horas.
Qualquer pessoa pode participar, de qualquer parte do mundo, entrando no link que vou passar abaixo. Caso não entre bem com um determinado navegador, tente com outro, porque tem que entrar. Se pedir para instalar um FLASH, instale sem receio no seu computador, porque não é virus.
O que recomendamos é que, na hora que você entrar, coloque sempre o SEU NOME (Não precisa ser nome todo) seguido da Sigla do Estado, ou do País onde vive, caso seja do exterior.
Assim: José Paulo-RS, Maria Júlia-SP, Sandra-RJ, Zé Antonio-MG, Yumi-Japão, Regina-Itália, etc...
Agora anote o link e bote no seu Favoritos:

 

Partilhe este artigo:

Chaves - 'A reencarnação é maldita para uns...'

José Reis Chaves


A reencarnação é maldita para uns, mas na verdade ela é bendita



O fundamento de toda religião é a crença em Deus e na imortalidade do espírito. E, na vida prática do religioso, é essencial a vivência do amor a Deus e ao próximo.

O pecado é uma ofensa ao próximo, e uma desobediência das leis divinas. Mas a ofensa ao próximo não atinge Deus, pois Ele é como que vacinado contra ofensas e males. “Ao Todo-Poderoso não podemos alcançar” (Jó 37:23). Aliás, se Deus sofresse com os pecados da humanidade, Ele seria o ser mais infeliz! Mas isso não acontece, exatamente porque Deus, além de Todo-Poderoso, é também imutável. Já nós, sim, somos prejudicados quando deixamos de amar a Ele e ao nosso próximo. E o nosso amor a Deus passa pelo amor ao nosso semelhante. “Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar o seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” (1 João 4: 20).

A crença na imortalidade do espírito, como já dissemos, é uma das questões essenciais das religiões. Mas essa imortalidade é vista de vários modos. Sabemos que o espírito de cada um de nós habita o nosso corpo aqui na vida terrena. Mas o espírito habita também fora deste nosso mundo físico, ou seja, no mundo espiritual. Ele caminha sempre em sua jornada evolutiva sempiterna, pois ela tem começo, mas não tem fim. E assim, os espíritos humanos vão se tornando, cada vez mais, mais perfeitos e, pois, mais semelhantes a Deus, mas sem jamais serem perfeitos iguais a Ele, cuja perfeição é infinita.

Essa crença de que o espírito, ora está num corpo humano aqui Terra, ora no mundo espiritual, depois da crença em Deus e na imortalidade do espírito, é a mais aceita por todos os religiosos do mundo, independentemente de sua religião. Ela é o que se chama reencarnação, que não é criação do espiritismo como muitos pensam. E, segundo uma pesquisa da Universidade de Oxford, em 212 países, no ano de 2000, cerca de 3/4 da população mundial crê na reencarnação, que é bíblica e é, hoje, comprovada por vários segmentos da ciência.

E ela é maldita para os materialistas e para os líderes religiosos fundamentalistas, que não conhecem bem a Bíblia, ou que a conhecem, mas querem manter os seus fiéis amedrontados com a falsa e mitológica existência real do inferno de Dante Alighieri na “Divina Comédia”, quando esse inferno é figurado na Bíblia. Aliás, esse mesmo maior poeta europeu medieval demonstra reservadamente que ele era reencarnacionista. (Mais detalhes em meu livro “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência”, 8ª edição, Ed. EBM, SP, que está sendo lançado também em inglês nos Estados Unidos pela Editora “Outskirts Press Inc”).

A reencarnação continua maldita para uma minoria da humanidade, mas como foi mostrado, é bendita para a grande maioria da população do mundo. É que ela nos dá a certeza da imortalidade e de que todos nós estamos mesmo caminhando, uma minoria mais rapidamente e a maioria mais devagar, de acordo com o livre arbítrio de cada um, para nos encontrarmos, um dia, com Deus, que não quer a perda de nenhuma de suas almas amadas infinitamente por Ele (João 6: 39).

E terminamos dizendo que, sem a teoria da reencarnação, seria uma mentira a doutrina teológica da misericórdia infinita de Deus!


Com Celina Sobral e este colunista, o “Presença Espírita na Bíblia”, na TV Mundo Maior, por parabólica e internet, nas quintas-feiras, às 20h, e outros horários (ver a grade da programação). Perguntas e sugestões: presenca@tvmundo maior.com.br.
  -----------------

Obs.: Esta coluna, de José Reis Chaves, às segundas-feiras, no diário de Belo Horizonte, O TEMPO, pode ser lida também no site http://www.otempo.com.br/. Ela está liberada para publicações. José Reis Chaves é autor dos livros “A Face Oculta das Religiões”, “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência” Ed. EBM (SP) e “A Bíblia e o Espiritismo”, Ed. Espaço Literarium, Belo Horizonte (MG) – http://www.literarium.com.br/. e-mail: jreischaves@gmail.com Os livros de José Reis Chaves podem ser adquiridos também pelo e-mail: contato@editorachicoxavier.com.br e o telefone: 0800-283-7147. Este texto é reproduzido no Blog de Espiritismo com autorização do autor.

Partilhe este artigo: