Spiga

A maior Árvore de Natal da Europa


Esta é a primeira página do Jornal Público, dia 4 de Novembro de 2006.

Em destaque surge a fotografia do que irá ser a maior Árvore de Natal na Europa e também a noticia que transcrevemos a seguir:

"Será dentro de uma semana e pouco a maior árvore de Natal da Europa. Na praça do Comércio, em Lisboa, operários circulam em equilíbrio difícil no emaranhado de metal que dará forma a uma estrutura com 75 metros – mais três do que o ano passado. A árvore impressiona pela dimensão – tem uma altura que equivale a 24 andares, mais do dobro da Torre de Belém e mais do que a distância do nível da água aos tabuleiros da Ponte 25 de Abril e D. Maria, por exemplo. E atrai multidões: em 2005, terá havido 800 mil pessoas que se deslocaram de propósito para a ver. As suas luzes vão brilhar até 7 de Janeiro."

Resta acrescentar que o resultado final deverá ser semelhante à de 2005, cuja fotografia podem ver em baixo:



E mesmo ao lado não é preciso muito esforço para nos cruzarmos com imagens muito semelhantes a estas:





Enfim, são as prioridades do nosso mundo.

Partilhe este artigo:

18 comentários:

Sofia

5.11.06

Já agora conto o que me aconteceu numa aula, durante a semana passada. Era suposto começarmos a preparar a festa de Natal, sendo que os meus alunos de 9ºano preparam para que a infantil e o 1º ciclo usufruam, e um aluno pede a palavra (ele gosta de chamar a atenção e pede que todos se calem):
- stôra, posso dizer uma coisa?
- sim, ... diz lá!
- ah e tal, esta altura do ano é de um sinismo tal, que as pessoas fingem que se preocupam, que são caridosas, que se amam...isto enoja-me!

Realmente, quando o mais importante no Natal são as luzes e não o calor humano...está tudo dito!

Anónimo

6.11.06

Já agora podiam pôr os sem-abrigo a decorar a árvore de Natal...

Francisco

7.11.06

Caro Sr.(a) Anónimo(a),

Fiquei sem ter a certeza se o seu comentário foi uma piada de mau gosto em relação aos sem-abrigo, pois só o facto de imaginar essa ideia repugna o mais insensível dos humoristas... ou se estaria a referir-se a colocar os sem-abrigo a decorar a árvore de natal, enquanto ocupação, assim como um trabalho com a finalidade de integração na sociedade.

Caso o seu comentário se englobe na primeira opção, de tão infeliz que é não merece o mais pequeno reparo.

Por outro lado, se estava a referir-se a uma ocupação... não creio que essa ocupação resolva minimamente o problema dos sem-abrigo.

Para além das roupas e comida, que anónimos heróis voluntários, dos mais variados sectores da nossa sociedade fazem o possível por distribuir pelos sem-abrigo (com todas as limitações em géneros e número de voluntários que se conhece), a grande maioria deles precisa também de ajuda médica, para ultrapassar problemas com álcool e drogas, distúrbios mentais, traumas de anos a fio a viver à margem de tudo e todos, etc.

Ou seja, não é só chegar com roupa lavada, uma casa pronta e um emprego à espera que se resolveria o problema.

Tudo isto é um pouco utópico... mas quando a maioria da sociedade estiver consciente da responsabilidade que temos uns para com os outros, quando tiver desperta para as noções de justiça e igualdade, quando perceber que existem prioridades onde gastar o dinheiro de todos... aí as coisas vão começar a mudar.

E mais cedo ou mais tarde vão mesmo mudar!

Quando as consciências perceberem que de facto existe vida depois da morte e que voltamos cá inúmeras vezes, tudo irá mudar.

E não estou a dizer que todos vão ser espíritas... estou somente a falar dessas verdades universais que inúmeras religiões e crenças têm na sua base... estou a falar dessas evidências científicas com que alguns investigadores se têm deparado (por vezes até são ateus!).

Pode durar um milénio, mas chegaremos lá.

Muita paz.

Sofia

7.11.06

Boa Francisco, é isso mesmo!:D

Anónimo

7.11.06

O meu comentário foi uma forma de exprimir indignação, através de uma ironia amarga. É que a insensibilidade em relação a estas pessoas é tal, que apetece "sugerir" algo assim. E qualquer pessoa pode tornar-se um sem-abrigo com a maior das faciliades.
Desculpem a imagem chocante.

Francisco

7.11.06

Não tinha percebido o sentido do seu comentário.
Depois de ler a sua explicação, já fez todo o sentido na minha cabeça, mas não tinha de facto entendido o que escreveu.
Peço desculpa pela minha limitação na interpretação.

Anónimo

7.11.06

Eu é que tenho limitação no modo de me exprimir.

Francisco

8.11.06

Ora essa, são limitações da escrita!

Eu fiquei envergonhado com a interpretação que fiz, você ficou pouco à vontade quando percebeu que tinha sido mal interpretado...

Pronto, já lá vai e outros posts vão ser escritos, outros comentários o amigo irá escrever (pelo menos tenho essa esperança) e todos aprendemos com estas experiências.

Grande abraço.

Anónimo

8.11.06

Olá, tb sou espirita...e por conhecer bem a sua filosofia nao poderei concordar em que deva valorizar nem uma coisa nem outra...Eu explico...
Cada um deve pelos seus actos, assumir as suas consequências, e como a imperfeição faz parte de todos nós, mts ainda nao terão esse conhecimento. Assim, mais tarde ou mais cedo e quando preparados tudo vem a nós, seja pelo amor seja pela dor, por isso evidenciar que a epoca natalicia é um malgrado da sociedade actual, nao ajudará nem os sem abrigo nem as ideologias de cada um...A atitude faz de nós o ser maior, e talvez em nosso redor ao manifestarmos com seriedade e convicção o amor que germina dentro de cada um, será benefico para todos!
Eu sou espirito que aceita a Arvore de natal, a sua epoca, e ate o dia de finados como noutro post aqui colocado. Sabe pq?
Pq respeito quem me rodeia logo tenho que aceitar tudo e todos, so assim posso praticar a caridade, que começa por nós, pela familia e so depois pelos outros...
Se o espiritismo nos ajuda a compreender que a felicidade é alcançada no trabalho arduo, mas nao do sacrificio, por isso amemos, pq ao amar extinguiremos a pobreza...a pobreza do coração de cada um!
Susana

Mário

8.11.06

Olá Susana,
Também nós somos a favor do Natal. O Espiritismo não muda o estilo de vida de ninguém; se a pessoa tem por hábito celebrar o Natal, claro que, ao tornar-se espírita, deve continuar a celebrá-lo.
O que o Espiritismo muda é o nosso interior, fazendo-nos mais responsáveis pela nossa conduta.
Talvez por isso, ainda que saibamos que os sofrimentos têm causas anteriores, sentimo-nos chocados com a frieza da nossa sociedade em relação a quem sofre.
E por falar em frieza, enquanto uns estão em casa, de banho tomado, alimentados, agasalhados, estes nossos irmãos enfrentam temperaturas abaixo de zero enrolados em plásticos e cartões.
Cá, em Moscovo, em Nova Iorque.
M.

Anónimo

8.11.06

Olá Mário,
Não disse em nada do contrario do que acabou de referir... nao lhe parece?

Mas como nao julgamos o mal, mt menos poderemos julgar o bem...

Conheço dois dos sem abrigo que viverão mm ao lado, da futura arvore de natal na praça do comercio, e posso lhe dizer que estes dois seres, são sem abrigo por opção...coisas da vida...é uma escolha...

Nunca saberemos as razões de cada um.
Nem estou a defender isto ou aquilo, mas a sociedade de que fala todos nós contribuimos para ela, bem ou mal...

Só achei pertinente que venha sempre o lado negativo das situações.

Se ambos sabemos que o equilibrio tao dificil de se conseguir , só o vencemos com pensamentos positivos, e só assim conseguimos ser alguem e poder ajudar os outros, então.

A vida e ajuda que dela precisamos é um encadear de acções, em que todos estamos implicados.

Adoraria ter visto explorado o lado positivo da questao, por exemplo: a Luz da Arvore de Natal vem trazer luz aos corações dos sem abrigo.

Pq nao importa no que acreditam, importa que pode simbolizar para muitos Deus e Jesus Cristo e que durante 365 dias vivem nas ruas, durante quase 60 desses dias eles tem a Sua luz no peito...

E bem sei Mario, vai relutar...mas tb sou espirita mas o meu pensamento nao ve os que sofre, ou por outra, ve! Ve os que acreditam em Deus com um sorriso imenso...que apesar do sofrimento aquele que Nele acredita que é feliz!

Nunca esqueçamos dos porquês das causas! quem sabe eu ja nao fui uma sem abrigo... ou um governador deste Pais...

Bem haja meu amigo, um abraço
Susana

Francisco

9.11.06

Olá Susana, seja bem vinda ao blog e obrigado pelas suas participações.

Também eu respeito os outros e todas as formas de pensar e não creio ter escrito algo que falte ao respeito ou que evidencie falta de amor para com os outros (quer aqui ou no post do dia de finados)... mas dei uma opinião.

Eu não acho que o Natal seja um “um malgrado da sociedade actual”, mas continuo a achar que gastar dinheiro na maior árvore de natal da Europa é uma idiotice e que cada vez o Natal é mais consumo e menos amor.

Se a árvore tivesse metade do tamanho (ou até menos) continuava a fazer as delícias de quem gosta.

Também continuo a achar que não é a árvore de natal com todas as suas luzes que vai iluminar os corações dos que sofrem... acho que as equipes de voluntários que os acompanham conseguem isso muito melhor... tanto para com aqueles que vivem nas ruas voluntariamente, como com a grande maioria que foi lá parar por razões diversas, mas que preferiam viver numa casa.

Qualquer um de nós pode ter sido um governador ou um sem abrigo, mas no meu ponto de vista nem tão pouco importa os porquês das causas, importa amar e ajudar a todos incondicionalmente e dentro das nossas possibilidades.

Pode perguntar em que é que o post contribui para ajudar? Em nada, mas achei importante escrever sobre o assunto.

Muita paz.

Anónimo

9.11.06

Olá Franscisco,

Em primeiro, jamais quiz manisfestar que aqui ou noutro lado qq houvesse falta de respeito ;)

Segundo: sabe como é dificl levar um sem abrigo para dentro de uma casa, claro que nao todos, mas todos os voluntarios que andam na rua todas as noites fazem as suas tentativas de os levar para casa...alguns ja nao querem, acredite! Falo por experiencia ;)

Terceiro: Nao se substime, o NADA nao existe, por isso qq coisa possa escrever entra pelos olhos de mt gente...logo nos corações que sentem...

Sabemos que na maior parte das vezes as boas causas serão as menos visiveis ;)

E depois eu tb apenas dei a minha opinião.
E graças a deus que existem opinões, mtas, todas elas validas...é assim que o mundo cresce.

Sou uma espirita que acolhe o sofrimento de sorriso nos labios pq o coração nao lamenta sofrer, sem ele a aprendizagem seria mt mais dificil...e depois pq gosto de elevar a parte negativa com o seu lado positivo, só isso...

A informação ate pode ser a mesma, mas saberá melhor quando podemos ser construtivos positivamente sem alimentar o sofrimento...

Que ja sofrem ja sabemos, apenas gostei de ilustrar um dos pontos positivos...

Um equeno aparte:

Um sem abrigo na Praça do Comercio, ja foi levado para uma instituição mais de vinte vezes em 15 anos que la vive, mas foge...alias chegam a recorrer á policia, para conseguirem lhe dar um banho de vez em vez...de familias com posses um dia decidiu ficar sem nome, sem casa, sem vida reconhecida...Sei o motivo, mas nao vou aqui justificar...

Uma mulher que actualmente lhe faz companhia, na Rua e debaixo das arcadas, ja com 69 anos, tem o filho no ministerio da educação...o filho tem feito de tudo...Tb ela foge e volta para a Rua...

As suas vidas sao feitas de lixo, e papel de cartão, piolhos e chatos...(isto sim é frieza a falar, mas real) mas nao trocam a vida que um dia decidiram ter...como eu identifico, a morte vivida de um outro prisma.

Os conceitos de vida e morte podem ter muitos significados, o amor a paz, a riqueza tb...

É tudo mt relativo...

Faremos o que pudermos, nao é assim?

Importante será isso, com Arvore ou sem Arvore...Eu ate gosto de lá passar e ouvir a musica celestial...os meus filhos sonham ...é bom quando traz sentimentos bons, e isso é que importa.

Bem haja meu amigo
Susana

Mário

9.11.06

O seu ponto de vista é pertinente, Susana. Por exemplo, nos Estados Unidos (que são uma sociedade voltada para a riqueza, sem complexos) é clássico o caso do administrador de empresas que um dia decide largar tudo e partir, com o seu cão e a trouxa na ponta de um pau. Correr mundo, viver de esmolas, dormir debaixo da ponte, são a dada altura a saída para uma vida de stress, dedicada a ganhar dinheiro, custe o que custar. Serão mecanismos de reajuste, começando a funcionar já aqui na Terra? Creio que sim.
Nem todos os sem-abrigo podem ser vistos do mesmo modo, é certo. Contudo, manda a lei de justiça, amor e caridade, que façamos o possível para auxiliar o próximo em sofrimento, seja um sem-abrigo ou um milionário, respeitando o livre-arbítrio de cada um, como bem diz. As prioridades da nossa sociedade não são essas, mas sim o lucro, ese grande ditador. Obrigado por prestigiar o nosso blog com a sua visita e os seus comentários.
M.

Anónimo

9.11.06

"Nem todos os sem-abrigo podem ser vistos do mesmo modo, é certo. Contudo, manda a lei de justiça, amor e caridade, que façamos o possível para auxiliar o próximo em sofrimento, seja um sem-abrigo ou um milionário, respeitando o livre-arbítrio de cada um, como bem diz." - Concordo em absoluto.

"As prioridades da nossa sociedade não são essas, mas sim o lucro, ese grande ditador."

Será a acreditar nisso que sim, tenho que concordar com pessoas que acreditam...

Mas prefiro acreditar que nao posso lamentar com o qu eja existe, mas o que pode ser feito, e na parte qu eme toca, pela educação...essa suscetivel de sensibilidade e de grande valor, começa pelas nossas casas, e um dia o mundo mudará, heis a esperança que mantem a alegria positiva, e nao o lamentar pelo que ocorre...

Estariamos aqui indeterminadamente a discutir pontos de vista...

E pq somos individuos, á que aceitar cada um como cada qual, so lanço nesta perpectiva o meu olhar para o Amor, pq amar é felicidade onde o lamento nao existe, apenas sentimento sentido e profundo! So assim o meu livre-arbitrio pode ser positivo, pensamentos positivos, sentimentsopositivos, uma vida melhor, melhor posso estar para os outros!

A energia flui, entao que acreditemos nisso verdadeiramente!

Ficando por aqui um bem haja a todos.

Mario, Obrigado pela sua simpatia, nao podia esperar outra coisa :))

Susana

Francisco

9.11.06

Sim, concordo.

Concordo com o Mário e com a esmagadora maioria das coisas que a Susana escreve.

Tirando esses tais pontos de vista diferentes, que não acho que sejam assim tão diferentes... ou por outra, o que eu acho é que se falou das mesmas coisas por caminhos diferentes.

Gostei especialmente no ultimo comentário da susana a parte de responsabilidade que nos toca através da educação.

Tem toda a lógica.

Obrigado Susana.
Vá aparecendo e comente.
:)

Sofia

9.11.06

Isto é que eu chamo um verdadeiro blog: aberto ao diálogo, feito de partilhas de opiniões e experiências...apenas e tão nobremente com o intuito de crescermos enquanto seres espirituais.
Continuem que vão no bom caminho.
Bem haja a todos!
;)
Sofia

Jonas962

13.11.06

ÁRVORE DE NATAL
...Lisboa....
Propaganda....simplesmente propaganda......(PARA TURISTA VER !!!), ....TALVEZ MESMO FAZER SONHAR OS SEM ABRIGO, que por ali abundam...!!!
Também eles só existem porque são reflexo do tipo de sociedade que todos nós contribuímos...!!??,
mas ainda sobre A ARVORE DE NATAL DE LISBOA, para passar nas TV de todo o Mundo, e também faz parte de um projecto de solidriedade de uma Estação Comercial de Portugal.
Sim, aquela ou aquelas que atiram horas sem fio de publicidade consumista, e violênçia gratuita...a todo o instante e a todo o momento, sem respeito por ninguém....Mas ainda bem, porque cada um é livre de "comer" aquilo que gosta, sem estar preocupado se lhe vai ou não fazer bem !!
Mas essa é a outra façe da moeda, faz-se a caridade porque dá Jeito(!?), um contorno aos impostos (!?),etc,etc.
Bem, nesta sociedade em que todos participamos, inundada de egoísmos porreiros, vale a tentativa de cultivar a melhoria e todas as mentalidades.
O Espiritismo sem dúvida ajuda a respeitar as diferênças, e aceitar a nossa pequenez e apelar que com os nossos olhos possamos ultrapassar as dificuldades da vida, e não ficar quietos no sítio, à espera que chova, porque já sabemos todos que isso nasda resolve !!.

Enviar um comentário